Os marcos do desenvolvimento da linguagem

Muitos autores apontam duas etapas na aquisição da linguagem infantil: a pré-linguística e a linguística/semiótica.

A primeira etapa, abrange aproximadamente, os doze primeiros meses de idade e sua manifestação verbal é o choro, que passa a ser diferencial no início do segundo mês de vida, todo esse conjunto de comunicação ditas não-verbais aprendidas ao longo do primeiro ano de vida, preparam o indivíduo para a aquisição da linguagem.

- aos dois meses: começará a girar em direção ao local de onde vem a voz;

- aos três/quatro meses: inicia uma espécie de conversa, como uma atividade lúdica, no qual exercitará sua musculatura articulatória e de fonação. Emite sons variados e reconhece sons familiares;

- aos seis meses: imita o som feito por outros e inicia um diálogo vocal;

- aos oito meses: as emissões iniciais reduzem e permanecem as vocálicas e consonantais fundamentais;

- aos dez meses: a criança tende a repetir monossílabos que podem ser considerados esboços das primeiras palavras, surgem também imitações e onomatopéias, associadas com a linguagem gestual;

- entre onze e doze meses: já se identifica com o próprio nome e começa a compreender o significado de algumas palavras.

A etapa linguística é a fase da construção da linguagem:

- entre doze e quinze meses: surge a primeira palavra intencional e significativa, sendo normalmente um monossílabo duplicado. A criança passa a utilizar uma palavra como expressão global de sentimentos e para pedir objetos diferentes;

- com dezoito meses: pode emitir ao redor de dez palavras e descobre que cada objeto tem um nome diferente;

- entre dezoito meses e dois anos: surge o não e a primeira frase, com a combinação de duas palavras, o que chamamos de justaposição;

- entre dois e três anos: aumenta o número de palavras e a precisão do que a criança emite, além de aquisições fonéticas e sintáticas;

- com três anos: produz palavras de três sílabas e compõe frases simples. Vai adquirindo também uma consciência de si mesma diferenciada do outro e é capaz de se relacionar com ele;

- com quatro anos: já adquirida a linguagem básica, utiliza frases mais complexas, iniciam-se as narrativas e a participação em conversas;

- com cinco anos: aperfeiçoamento da construção gramatical, morfossintaxe;

- com seis anos: pode emitir qualquer som do idioma, expressa claramente acontecimentos e realiza adequadamente a concordância sujeito e verbo;

- entre sete e oito anos: inicia produção de orações passivas e começa a compreender que um fato pode ser descrito a partir de diferentes pontos de vista.

A linguagem é considerada um sistema de símbolos que nos permite expressar e compreender infinitas variedades de mensagens, sendo o seu desenvolvimento um dos fatores fundamentais para o crescimento infantil harmônico nas questões sociais, relacionais e de aprendizagem. Sua aquisição é dependente de fatores como adequação de estruturas cerebrais, ausência de intercorrências pré, peri ou pós-natais e interação social/ ambiental.

Por meio da linguagem aprendemos, desenvolvemos-nos e criamos nossa realidade, assim o indivíduo apropria-se do conhecimento, toma consciência de si e de suas ações.

Bibliografia:

- Bee, H. A criança em Desenvolvimento. Artes Médicas, 1996.

-Transtornos de Aprendizagem e Autismo. Grupo Cultural, Edição 2014.

Destaques
Posts Recentes
Procure por

RM 2014