Crianças com Transtorno Fonológico, o que apresentam?


A comunicação humana é dependente do desenvolvimento da linguagem, que por sua vez, ocorre em etapas e depende da maturação de outras áreas, além de sofrer influência do ambiente.

Dividida em quatro grandes áreas: pragmática, semântica, morfossintaxe e fonologia (ver post anterior), é a grande habilidade que diferencia os seres humanos de outros seres vivos.

A fonologia está relacionada a todos os sons de uma língua e às regras para combiná-los em unidades com significado, este sistema é formado e completo ao longo da primeira infância.

Esperamos ao longo do desenvolvimento infantil, que o balbucio apareça por volta dos seis meses e as primeiras palavras com um ano. A partir desta etapa, inicia-se um grande crescimento na fala, que será finalizado por volta dos cinco, cinco anos e meio - completando assim, o sistema fonológico da criança.

Caso a criança não adquira todo o repertório de sons de uma língua, ela realizará simplificações ou processos fonológicos na sua fala, isto é, ela poderá omitir ou trocar determinados sons, o que caracterizamos como um Transtorno Fonológico. Isto pode ocorrer, entre outros motivos, devido a inabilidades perceptuais e articulatórias.

Um dos fatores que podem ser de risco para a presença deste quadro é a frequência no aparecimento de quadros de otite (dor de ouvido) e infecções de vias aéreas superiores, por isso vale sempre a busca pelo profissional habilitado (otorrinolaringologista e fonoaudiólogo) para realizar uma avaliação precisa.

Este Transtorno é caracterizado pela ininteligibilidade da fala (ou seja, a fala da criança é de difícil compreensão/ entendimento), as trocas devem ser analisadas de forma detalhada pelo fonoaudiólogo, logo ao serem notadas pois, existem idades específicas nas quais as crianças devem superá-las, adquirindo e emitindo o som corretamente até completarem o próprio inventário fonético (quadro completo dos sons da língua no qual está exposta).

Bibliografia:

-Lopes-Herrera, SA; Maximino LP (Organizadoras).Transtornos Fonológicos; In: Fonoauiolodia - Intervenções e Alterações da Linguagem Oral Infantil. Ed. Novo Conceito; 2011.

Destaques
Posts Recentes
Procure por

RM 2014