As consequências da respiração pela boca


A obstrução nasal é uma preocupação recorrente nos consultórios médicos e como mecanismo de compensação, ou mesmo por hábito, o indivíduo passa a respirar pela boca.

A respiração oral ou bucal gera uma série de alterações locais e sistêmicas que comprometem a qualidade de vida do nosso paciente e influenciam no crescimento e desenvolvimento craniofacial.

Ocorrem alterações em diversos níveis do sistema, como na ventilação pulmonar; desestabilização das vias aéreas durante o sono, associado à presença de roncos e casos de apneias; possibilidade de desenvolvimento de bruxismo e outros sintomas diurnos decorrentes das dificuldades durante o sono.

Com relação ao desenvolvimento craniofacial e órgãos fonoarticulatórios, pode ocasionar: atresia de maxila, má oclusões, largura craniana e facial menores, protusão de incisivos superiores, eversão de lábio inferior, lábio superior hipodesenvolvido, narinas estreitas e flacidez da musculatura facial.

Muitas vezes estes pacientes chegam para a Fonoaudiologia através dos encaminhamentos otorrinolaringológicos, de dentistas e pediatras. O profissional especializado deve acolher, orientar e realizar os devidos procedimentos de anamnese, avaliação e intervenção terapêutica, em conjunto com a equipe de saúde e os responsáveis, para adequação do quadro.

Bibliografia:

Imagem: http://meuaparelhodentario.com/bico-de-mamadeira-ortodontico-pode-salvar-seu-filho-entenda/

Texto: Conhecimentos Essenciais para Entender Bem a Respiração oral. Organizadoras: Krakauer LH, Di Francesco RC, Marchesan IQ. Editora Pulso, 2003.

Destaques
Posts Recentes
Procure por

RM 2014