Manifestações iniciais do Autismo na Comunicação e Linguagem



Nos grandes quadros de Transtorno do Espectro do Autismo ocorrem graves e persistentes prejuízos de linguagem e comunicação.

A criança possui competências para a comunicação desde muito nova, assim como comportamentos como o choro, olhar e o próprio sorriso que já demonstram tais aspectos.

O diagnóstico de autismo é mais facilmente definido por volta dos 24 meses (APA, 2002) e as manifestações envolvem desvios na qualidade da interação social, na comunicação (não-verbal e verbal), no repertório de interesses e brincadeiras.

Apesar de não se expressar com palavras, a interação no primeiro ano de vida é fundamental para o desenvolvimento da linguagem. O bebê, desde o nascimento, mostra sua disposição para a comunicação com os demais (Perissinoto, 2003).

Seguem alguns sinais de alteração no processo de desenvolvimento da linguagem, antes mesmo do próprio início da fala (Perissinoto, 2003):

  • Falta de atenção à fala dos pais, com atenção aos demais ruídos do ambiente;

  • Prejuízo interpessoal, com ausência de sorrisos e troca de olhares;

  • Ausência de antecipação de gestos;

  • Ausência do apontar ou dar tchau;

  • Dificuldade de imitar e participar de brincadeiras interativas;

  • Os adultos têm dificuldades em interpretar o choro da criança, assim como em atribuir intenção à vocalizações;

  • É incomum pedirem conforto e ajuda;

  • Realizam uma exploração repetitiva de objetos e brinquedos;

  • Apresentam dificuldade em lidar com alterações de hábitos e rotinas.

Vale ressaltar que os indivíduos com autismo tem prejuízos presentes desde os momentos pré-linguísticos (antes da fala propriamente dita). As características variam dentro do espectro, conforme a fase do desenvolvimento e a situação, mantendo-se a correlação entre falhas de interação, social e de linguagem (Perissinoto, 2003).

As habilidades de interação, brincadeira, aspectos comunicativos e de linguagem são abordados e trabalhados pela Fonoaudiologia.

Bibliografia:

Texto:

- Perissinoto, J. (org). Conhecimentos essenciais para atender bem a criança com Autismo. São José dos Campos: Pulso, 2003.

-APA: DSM-IV TR. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: 4ªed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

Imagem:

- http://mdemulher.abril.com.br/saude/saude/autismo-veja-como-identificar-os-primeiros-sinais-da-doenca

Destaques
Posts Recentes
Procure por

RM 2014